Abril 11, 2021

Carteira Digital de Trânsito vai permitir transferir veículos em 2021

Aplicativo inclui a carteira de motorista e o documento do veículo

Aplicativo inclui a carteira de motorista e o documento do veículo
LUIS LIMA JR/FOTOARENA/FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚDO

A CDT (Carteira Digital de Trânsito) vai ganhar novas funções e permitir até fazer a transferência de veículos em 2021. O aplicativo, criado em 2019, inclui a CNH Digital e oferece vários serviços, como alerta sobre o vencimento da Carteira Nacional de Habilitação, consulta de multas, informação sobre recalls e permite pagar multas com até 40% de desconto. 

Leia também: Número de CNH pelo celular quase dobra durante a pandemia

Segundo o diretor-geral do Denatran (Departamento Nacional de Trânsito), Frederico Carneiro, a CDT terá dois novos recursos no próximo semestre. O primeiro deles será a função “real infrator”. Com ela, será possível indicar o condutor que foi multado. Tudo validado no aplicativo. Ela chega no primeiro trimestre.

Transferência de carros até junho

Segundo o chefe do Denatran, até junho de 2021 a CDT vai liberar a função para realizar a transferência dos veículos. O recurso, claro, só vai funcionar para quem já estiver cadastrado na CDT. Segundo Frederico Carneiro, o app superou recentemente os 10 milhões de usuários. “Com os Detrans conectados, a transferência dos veículos será quase instantânea”, diz.

No caso da função “real infrator”, Carneiro antecipa que o processo será semelhante. “O carro está no seu nome. Aí, no fim de semana você empresta para um primo e ele é multado. Nesses casos, será possível indicar quem levou a multa. Um usuário envia o comando a outro, eles conversam e indicam o real infrator pelo aplicativo”, conta.

Atualmente, a CDT já permite indicar o principal condutor de um veículo. A função permite que o proprietário de um veículo aponte quem é o principal condutor, aquele que mais dirige. Assim, ao indicar o motorista mais habitual, as multas vão diretamente para ele, e não para o dono.

Exame toxicológico

Frederico Carneiro afirmou também que o Denatran estuda incorporar o exame toxicológico à Carteira Digital de Trânsito. Segundo o diretor-geral do Denatran, a CDT terá um campo para motoristas profissionais.

“Vamos começar a desenvolver. Vai ter geolocalização, lista de empresas credenciadas. O usuário vê no aplicativo qual o laboratório mais próximo, e o resultado sai na CDT com a validade”, descreve.

You may have missed

5 min read
5 min read
2 min read