Janeiro 16, 2021

“Não sei mais qual é a política econômica do governo”, diz Maia 

Deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ) em coletiva de imprensa

Deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ) em coletiva de imprensa

Michel Jesus/Câmara dos Deputados – 10.12.2020

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), afirmou nesta quarta-feira (16) que a desistência por parte do governo de tocar as pautas econômicas, como a PEC Emergencial e os gatilhos do teto de gastos, sinalizam que o governo pode ter abandonado o projeto econômico liberal de redução de Estado e controle de gastos.

“Não sei mais qual é a política econômica do governo. Se ele pensa nas privatizações, nas despesas. O ministro Paulo Guedes infelizmente está enfraquecido e não é bom para o Brasil. O enfraquecimento do Paulo Guedes atrapalhou [a aprovação das pautas econômicas]”, afirmou.

Leia mais: Promessas econômicas do governo patinam e ficam para 2021

A avaliação de Maia é que o governo não está disposto a sofrer os desgastes de curto prazo que as medidas econômicas têm. Mesmo assim ele espera aprovar no início de 2021 ao menos parte da reforma tributária.

“O governo sempre teve muita restrição à PEC 45, o governo apresentou projeto de unificação de PIS/Cofins que é de maioria simples, poderia ser o primeiro passo e a partir do próximo ano incluir IPI e ICMS”.

Veja também: Com ou sem Guedes? Como a saída do superministro afetaria o governo Bolsonaro

Sobre o fato do governo ter recorrido ao STF da decisão de estender a desoneração da folha, Maia diz que há duas interpretações diferentes e que cabe ao Supremo dar a palavra final.

You may have missed

Cresta Help Chat
Send via WhatsApp