Abril 18, 2021

Damares lança ‘cartilha da maconha’ contra uso medicinal

Na imagem, ministra Damares Alves

Na imagem, ministra Damares Alves

Alan Santos/PR – 29.07.2020

O ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, comandado por Damares Alves, lançou uma cartilha sobre os riscos do uso da maconha para a família, infância e juventude e contra o uso medicinal.

“Há evidências científicas robustas de que o início precoce e a frequência do uso da maconha estão relacionados com maior probabilidade de uso crônico, uso abusivo e dependência, além de maiores prejuízos econômicos, sociais, e à saúde física e mental, não se tratando de uma droga inofensiva”, afirma a cartilha.

Leia mais: Como o uso de maconha medicinal tem crescido no Brasil

O documento, que contém 31 páginas, diz que a droga causa dependência química, afeta o desenvolvimento do cérebro e suas funções mentais, que o uso está associado a um maior risco de acidentes automobilísticos e que leva a um aumento no número de homicídios, criminalidade e violência.

Maconha medicinal
A cartilha afirma que “é importante salientar que o uso terapêutico dos componentes da maconha ainda é extremamente restrito, contando com pouquíssimas evidências científicas”.

Veja também: Canabidiol: o milionário mercado dos produtos à base de maconha, ainda ilegais nos EUA

A cartilha relata também que o CFM (Conselho Federal de Medicina) do Brasil “deixa claro a escassez de estudos que sustentam o uso terapêutico do canabidiol” – o órgão liberou apenas o uso compassivo da substância exclusiva para o tratamento de epilepsias na infância e adolescência refratárias às terapias convencionais.

“O uso de maconha durante a gestação pode causar atraso no desenvolvimento fetal e problemas neurológicos nos bebês (Corsi et al.,2019), e a legalização no Brasil pode trazer uma sensação de segurança a essas mulheres, levando-as a ignorar os riscos ao bebê ao confiarem na recomendação do vendedor”, diz.

Mais: ‘Estou perdendo meu filho’: os pais que cultivam ou recorrem ao tráfico por maconha medicinal

A elaboração da cartilha ficou a cargo das secretarias Nacional da Família e Cuidados e Prevenção às Drogas.

You may have missed