Janeiro 24, 2021

Alvos da Lava Jato devem pagar R$ 26 mi à firma em que Moro é sócio

O ex-juiz Sergio Moro

O ex-juiz Sergio Moro
Fabio Rodrigues Pozzebom/ Agência Brasil

A empresa de consultoria Alvarez & Marsal, da qual o ex-juiz e ex-ministro da Justiça Sergio Moro se tornou sócio-diretor, tem cerca de R$ 26 milhões a receber de alvos da operação Lava Jato, segundo decisões judiciais do Tribunal de Justiça de São Paulo divulgadas nesta terça-feira (1º) pelo site Poder 360.

O escritório atuou nesses casos como administrador judicial, acompanhando o  cumprimento do plano de recuperação judicial. A empresa também presta consultoria em temas como integridade e anticorrupção, área em que Moro afirma que vai atuar. 

Políticos repercutem saída de Moro do governo; veja

Em uma das decisões, o juiz João de Oliveira Rodrigues Filho, da 1ª Vara de Recuperação Judicial e Falência de São Paulo, determina que a Atvos, produtora de etanol do grupo Odebrecht, pague o valor de R$ 10,8 milhões em 30 parcelas de R$ 360 mil.

A outra decisão, proferida em 2015, determinou à OAS o valor de R$ 15 milhões, divididos em 30 parcelas mensais. O caso se encontra em grau de recurso. 

Moro afirma não haver conflito de interesses no novo cargo que irá ocupar. “Ingresso nos quadros da renomada empresa de consultoria internacional Alvarez&Marsal para ajudar as empresas a fazer coisa certa, com políticas de integridade e anticorrupção. Não é advocacia, nem atuarei em casos de potencial conflito de interesses”, escreveu em sua conta no Twitter.

You may have missed

Cresta Help Chat
Send via WhatsApp