Dezembro 4, 2020

Tempestade Eta deixa 150 mortos ou desaparecidos na Guatemala

Menina indígena é resgatada de helicóptero em Honduras após tempestade

Menina indígena é resgatada de helicóptero em Honduras após tempestade
JOINT TASK FORCE-BRAVO/via REUTERS

O presidente da Guatemala, Alejandro Giammattei Falla, afirmou nesta sexta-feira (6) que relatórios de várias agências estatais mostram que há pelo menos 150 pessoas desaparecidas ou mortas em três vilarejos no norte do país atingidos pela depressão tropical Eta.

“Calculamos que entre os mortos e desaparecidos, os números não oficiais, pois não temos confirmações, são cerca de 150 mortos”, disse o governante em entrevista coletiva concedida na sede da Coordenadoria Nacional para a Redução de Desastres (Conred).

Leia mais: Tempestade Eta chega a Honduras após causar quatro mortes na Nicarágua

Os mortos e desaparecidos foram soterrados por um deslizamento sobre cerca de 150 casas no vilarejo de Quejá, no município de San Cristóbal Verapaz, no departamento de Alta Verapaz, 205 quilômetros ao norte da Cidade da Guatemala.

Giammattei explicou que não apenas na tarde de quinta-feira “membros da quinta brigada do Exército chegaram a Quejá, fazendo um percurso pela montanha, a pé, para poder chegar lá”, dadas as condições climáticas do país centro-americano, onde as chuvas continuam no norte e no leste do território nacional.

Além disso, nas aldeias vizinhas de Chapenal e Saquixim há 120 pessoas deslocadas e cem casas inundadas, além de “muitas pessoas que ainda não querem sair de suas casas”, segundo o presidente.

Oficialmente, a Guatemala contabiliza oito mortes causadas por Eta em todo o país e 18 desaparecidos.

Cresta Help Chat
Send via WhatsApp
01511987618725