Dezembro 1, 2020

OEA pede respeito ao processo eleitoral nos Estados Unidos

Luis Almagro, secretário-geral da OEA, lidera missão de observação das eleições

Luis Almagro, secretário-geral da OEA, lidera missão de observação das eleições
Orlando Barría / EFE – 2.3.2020

A missão de observação eleitoral da Organização dos Estados Americanos (OEA) pediu nesta sexta-feira (6) que se permita que o restante do processo eleitoral nos EUA transcorra sem problemas e que não sejam feitas “especulações prejudiciais ou infundadas” sobre uma suposta fraude, em uma aparente referência ao presidente do país, Donald Trump.

Em seu relatório preliminar sobre as eleições presidenciais nos EUA, a missão de observação da OEA também garantiu que “não foi observado diretamente nenhum tipo de irregularidade que pudesse lançar dúvidas sobre os resultados por enquanto”.

Acompanhe a contagem de votos das Eleições nos EUA 2020

“A missão da OEA exorta todos os partidos políticos, candidatos e cidadãos a permitir que esta democracia prevaleça e permitir que o restante do processo eleitoral ocorra dentro da estrutura da lei”, diz o documento, de 20 páginas.

A missão, liderada pelo secretário geral da OEA, Luis Almagro, também manifestou apoio ao “direito de todas as partes em uma eleição de buscar reparação junto às autoridades legais competentes quando elas acreditarem ter sido injustamente prejudicadas”.

“Entretanto, é crucial que os candidatos ajam responsavelmente, apresentando e argumentando reivindicações legítimas em tribunal, não especulações prejudiciais ou infundadas na mídia pública”, acrescentou.

“Ele (Trump) acusou os trabalhadores das pesquisas de opinião pública de fraude eleitoral e reiterou que sua campanha tratará de suas reclamações em tribunal. Os observadores da OEA destacados nos estados de Michigan e Geórgia não testemunharam nenhuma das irregularidades acima mencionadas”, afirma o relatório.

A missão enfatizou que “todos os votos válidos feitos nestas eleições devem ser contados se foram recebidos dentro da estrutura das regras e regulamentos existentes nos respectivos estados”.

“A eleição de 2020 tem sido histórica em muitos aspectos, incluindo esforços extraordinários das autoridades eleitorais para expandir as opções de votação e facilitar o voto seguro por um número recorde de eleitores, apesar de uma pandemia debilitante”, disse a missão da OEA.

“Embora o ambiente no qual a eleição transcorreu fosse competitivo e tenso, a capacidade dos eleitores de todo o país de acessar o voto em circunstâncias que estavam longe das ideais exemplifica a democracia pela qual os Estados Unidos são famosos e que eles têm defendido ao redor do mundo”, acrescentou.

Entre suas recomendações, a missão da OEA advertiu que ainda existem algumas “vulnerabilidades” na infraestrutura eleitoral dos EUA que podem facilitar a interferência estrangeira, e pediu especificamente a substituição de algums máquinas de votação que, além disso, não permitem uma auditoria dos resultados por meio de documentos impressos.

Cresta Help Chat
Send via WhatsApp
01511987618725