Dezembro 1, 2020

China suspende a entrada de britânicos, belgas e filipinos

Determinação vale inclusive para aqueles com vistos ou permissão de residência em vigor

Determinação vale inclusive para aqueles com vistos ou permissão de residência em vigor
Freepik

Diante do aumento no número de casos de covid-19 no Reino Unido, na Bélgica e nas Filipnas, o governo chinês suspendeu nesta quinta-feira (5) a entrada na China de estrangeiros destes países. Segundo informações emitidas hoje, nem mesmo estrangeiros com vistos ou permissão de residência em vigor poderão entrar na nação.

Embaixadas e consulados chineses nos três países já não emitirão certificados de saúde que corroborem a validade de testes PCR negativos para o novo coronavírus, feitos previamente aos voos, que são obrigatórios para quem deseja desembarcar no território.

O aviso não faz menção aos chineses residentes ou que estão nestes países, o que faz pressupor que todos poderão retornar ao país de origem e tramitar a documentação necessária para que façam isso.

Além disso, as autorizações para tripulação, diplomatas, serviços ou cortesia não serão afetadas, segundo a missão chinesa em Londres, e também será mantida a tramitação de permissões para casos de emergência.

“As medidas mencionadas serão avaliadas de acordo com a situação dinâmica, e qualquer ajuste será anunciado”, indica o documento da delegação no Reino Unido.

Desde 6 de novembro, a China vem pedindo um teste adicional de anticorpos IgM, além do teste para o novo coronavírus, a todos aqueles que chegam ao país.

A detecção do patógeno precisa ser feita 48 horas antes do voo – antes eram 72 –, e os resultados devem ser obtidos no mesmo prazo.

Caso não viaje diretamente, o passageiro deverá repetir o teste no país de trânsito, que terão validade de dois dias, de acordo com as normas publicadas pelas embaixadas chinesas em vários países, entre eles, Espanha, França e Alemanha.

Cresta Help Chat
Send via WhatsApp
01511987618725